Especialidades

Nefrologia (Sem Agenda)


Nefrologista é aquele que estuda as funções e as doenças dos rins é o clínico especializado no sistema urinário.

Algumas das principais doenças que afetam os rins são:Nefrite,Infecção urinária, Cálculo renal, Obstrução urinária, Insuficiência renal aguda, Insuficiência renal crônica, Tumores renais, Doenças multissistêmicas, Doenças congênitas e hereditárias, Nefropatias tóxicas.

Quando é que devo ir a uma consulta com o nefrologista ?

  • Quando há alterações na taxa de creatinina sanguínea, que é o principal marcador da função renal;

  • Quando a urina estiver espumando muito ou quando for detectado presença de proteínas na mesma em exames laboratoriais;


  • Quando a urina estiver muito escura ou avermelhada, ou quando exames laboratoriais indicarem presença de sangue na urina, mesmo que esta seja microscópica e imperceptível ao paciente;
  • Mais de um episódio de cálculo renal, é o nefrologista quem impede que novas pedras surjam;

  • Diabéticos e hipertensos de longa data devem ter pelo menos uma avaliação com o nefrologista já que as duas doenças são as principais causas de insuficiência renal crónica e necessidade de hemodiálise no mundo;

  • Aparecimento de edemas (inchaços) difusos, principalmente nas pernas e no rosto;

  • Alterações no potássio, sódio, fósforo, ácido úrico, magnésio e cálcio sanguíneos que o clínico geral não identifique facilmente;

  • Aparecimento de múltiplos cistos renais em exames como ultra-som (ecografia), tomografia computadorizada ou ressonância magnética. História familiar de rins policísticos também indica uma consulta ao nefrologista;

  • Alterações na forma ou tamanho dos rins descobertos através dos exames de imagem descritos acima

  • Doentes portadores de Lúpus;

  • Excesso de urina.

Em tempo certo ao médico nefrologista pode ser a diferença entre estar plenamente curado ou necessitar de hemodiálise para o resto da vida.

IMPORTANTE:

Diabetes e pressão

“A incidência dessas duas doenças tem aumentado nos últimos anos, algo agravado pelo envelhecimento da população, além de sedentarismo e obesidade. A nossa cultura tem uma alimentação muito rica em sal e carboidratos, o que acentua o aumento dessas doenças. O ideal é reduzir o sal, manter uma alimentação equilibrada e manter uma hidratação adequada.”

De bem com a balança

“Os nossos rins têm uma programação para o peso e altura, por isso manter-se no peso ideal é fundamental para seguir com os rins em ótimo funcionamento. Indivíduos com o índice de massa corporal (IMC) nos parâmetros saudáveis ficam protegidos. Hoje em dia, existe uma epidemia mundial de obesidade. O excesso de peso leva à hipertensão e ao diabetes. Quando hábitos saudáveis são adquiridos, o risco de sofrer com um problema no rim é bem menor”.

Alimentação equilibrada, rins a salvo

“Tomar cuidado com o excesso de gordura, sal, sódio e açúcar é fundamental. Ingerir alimentos ricos em vitaminas e fibras colabora para a manutenção adequada das funções renais. Se o indivíduo já tiver sofrido com a DRC, é provável que seja obrigado a fazer algumas mudanças em seu cardápio. Adotar uma dieta com menor quantidade de carboidratos, proteína e sal para evitar a sobrecarga renal”, orienta.

A hidratação

“Tomar muita água é fundamental. Muitas vezes, crianças e adolescentes substituem a água por refrigerantes e sucos artificiais, o que prejudica o órgão. Em regiões secas, é essencial manter uma hidratação adequada e uma alimentação leve e balanceada. Um adulto deve ingerir em média dois litros de água por dia, fora outros líquidos saudáveis como sucos e chás”, diz.

Apagar o cigarro

“Os rins são cheios de vasos sanguíneos. O cigarro, por conta de suas substâncias tóxicas, desencadeia uma série de inflamações que prejudicam o órgão. O tabaco é uma sujeira pesada e dificulta o bom funcionamento dos rins e tem um impacto maior na bexiga. O que facilita o aparecimento de tumores nas bexigas e nos rins”